De peso

Sonia Racy

17 de fevereiro de 2011 | 17h31

Em paper só para clientes, a consultoria de Affonso Celso Pastore não é nada otimista em relação à inflação.

Dadas as informações disponíveis, e já conhecendo a magnitude dos “cortes” de gastos, estima que se uma segunda leva de medidas macro prudenciais não funcionar, o juro básico deve aumentar 200 pontos base para trazer a inflação de volta à meta em 2012.

Isto é, subiria dos atuais 10,75% para 12,75%.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.