De grão em grão

De grão em grão

Sonia Racy

10 de novembro de 2013 | 01h08

Foto: Paulo Giandalia/Estadão

Há alguns anos, o cineasta e músico Carlos Gayotto Rolim precisava de R$ 65 mil para colocar de pé um de seus projetos. “Senti na pele como é difícil conseguir recursos.” Solução? “Passar o chapéu entre a família e os amigos.” Deu certo. Mais do que isso: ali foi plantada a semente para que, anos depois, em setembro de 2012, ele se juntasse a Ana Carolina Bornhausen para criar o Partio – um “chapéu virtual” para projetos aprovados pela Lei Rouanet e que têm dificuldade de sair do papel. “Buscamos apoio das pessoas físicas”, explica ela. “Queremos que o incentivo à cultura passe a fazer parte dos costumes do brasileiro.” Para tornar o caminho mais fácil, o Partio acaba de estrear nova ferramenta, de doação por cartão de crédito. De moeda em moeda, a dupla tem conseguido “fazer acontecer” projetos nacionais e internacionais, como os shows dos croatas 2Cellos, este mês, no Brasil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: