De Davos

Sonia Racy

25 Janeiro 2014 | 01h10

Quem ainda tinha esperança de que Dilma fizesse, ontem, pronunciamento pró-mercado se frustrou. Segundo players do setor ouvidos pela coluna, a presidente não convenceu, mesmo ressaltando o compromisso do governo com a austeridade fiscal e o rigoroso cuidado com inflação e câmbio. “Ela faz o contrário do que Lula, sabiamente, fazia: diz coisas corretas, mas age na contramão. Lula criticava o mercado e os ricos, mas, depois, se decidia pelo certo”, comparou um importante banqueiro.

O mau humor com Dilma hoje é tamanho que, durante sua fala, o dólar chegou a bater nos R$ 2,42. Logo depois, quando começaram em Davos os boatos de que Guido Mantega não mais ficaria no cargo, o real voltou a se valorizar.