Cucurucucu, Paloma!

Sonia Racy

05 de janeiro de 2014 | 01h04

Enquanto o Brasil não se interessa por postos no comando dos organismos financeiros internacionais, o México avança tranquilamente.Anteontem, o Banco Mundial nomeou Jorge Familiar Calderón, sobrinho do ex-presidente mexicano Felipe Calderón, como VP para a América Latina e o Caribe.

E no FMI, a diretoria de Hemisfério Ocidental está com Alejandro Werner, argentino naturalizado mexicano.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.