Crisômetro

Sonia Racy

28 Dezembro 2016 | 00h30

A crise do Brasil, hoje, é mais grave que a de 1964? “Sim, agora está mais grave”, afirmou FHC em recente conversa com a coluna. O ex-presidente havia comparado os dois momentos, dias antes, com Almino Afonso, que foi ministro de Jango.

O conflito anterior era mais político do que econômico, “mas faltou bom senso” naquela época. “Cada um dos líderes tinha uma jogada pessoal”, lembrou Almino.

Crisômetro 2

Mas no Brasil de hoje, diz o tucano, “é preciso que pessoas de posições diferentes conversem e retorne o bom senso. Mas quando falo em diálogo, não é entre os que se entendem. E com os que não querem o diálogo.”

Vice

A bancada de vereadores do PSDB indicou, anteontem, Eduardo Tuma para a vice-presidência da Câmara de São Paulo. Mario Covas Neto, que foi contra o acordo para que Milton Leite assumisse o comando da Casa, não participou da reunião.

Girl power

E a liderança do PSDB para 2017 também já foi escolhida e prestigia a bancada feminina da Câmara, que aumentou: será Adriana Ramalho.

Balanço

Alguns números da Lava Jato em 2016: foram 19 fases, 18 ações recebidas e oito sentenças proferidas na vara onde atua Sérgio Moro. Agora, no STF, vamos lá: Teori Zavascki publicou 102 decisões de ações do MP e Janot, da PGR, ofereceu 16 denúncias. Das três ações penais instauradas, apenas uma ainda está em tramitação.

Já pelos advogados de defesa foram 91 pedidos de habeas corpus – 83 decididos. E das 45 reclamações propostas, 37 foram resolvidas e transitaram em julgado. Porém… ainda restam 58 inquéritos que não tiveram denúncia apresentada.