CPI do Municipal vai pedir à PF dados de entrada e saída de John Neschling, Nunzio e Herência do País

Sonia Racy

06 de julho de 2016 | 18h24

A CPI do Teatro Municipal decidiu hoje, em reunião sigilosa, que pedirá a PF dados de entrada e saída de do País de José Luiz Herência, do maestro John Neschling, e do secretário de comunicação do governo Hadddad, Nunzio Briguglio Filho.

Objetivo? Juntar prova que o maestro continuou recebendo seu salário num período de cinco meses que não estava no País — o que poderia, segundo os vereadores, configurar improbidade administrativa — e apurar possível relação Neschling e Briguglio no esquema que levou um prejuízo de R$ 15 millhões ao teatro.

Também foi aprovada a quebra de sigilo telefônico, bancário e do e-mail dos três. A CPI deverá retornar os trabalhos apenas em agosto, após recesso parlamentar.

Procurado, Briguglio disse à coluna que em depoimento à CPI na manhã de hoje no papel de testemunha, esclareceu que deixou claro que não tem relação com atos irregulares ocorridos no teatro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.