Cotação da prata também sobe após organização de investidores pelo Reddit

Sonia Racy

02 de fevereiro de 2021 | 00h50

Os ‘new serials investors’ do mercado financeiro internacional resolveram atacar o mercado da prata. Não se sabe se envolve o mesmíssimo grupo de pessoas que usaram a rede social Reddit para valorizar a varejista GameStop na semana passada. Que por enquanto, passou de US$ 1 bilhão – cotação do início do ano – para US$ 20 bilhões, segundo o NYT. Mas estão mexendo com a cotação do metal também por meio do fórum Wallstreetbets, do Reddit.

De uma cotação de US$ 17 por onça, no começo de janeiro de 2020, a prata passou a valer US$ 30 a onça. “Estão usando uma maneira legal de especular. Se isso espalhar pelas bolsas, ninguém sabe onde vai parar”, apontou à coluna, conhecido e experiente player internacional que mora no Brasil.

O fato é que as aplicações financeiras no mundo da prata somam algo como US$ 27 bilhões. “Quantia fácil de ser comprada por esses novos players virtuais”, pondera o mesmo investidor. A Ampex, maior corretora online de metais, colocou no seu site, no domingo à noite, que não estava mais aceitando “pedidos adicionais por produtos físicos de prata devido à demanda sem precedentes”. A SD Bullion, Money Metals e outras fizeram o mesmo. Ainda assim o preço subiu 13% ontem.

Isso lembrou a muitos a história de Naji Nahas e os irmãos Hunt. Eles compraram grande quantidade da commodity prata nos anos 1980, chegando a controlar 10% de todo mercado mundial. Levaram o preço do metal de US$ 2 para US$ 52 por onça, valorização de… 2400%.

Redescoberta 

O acervo musical de Alzira E. foi digitalizado durante as gravações do documentário Aquilo que Eu Nunca Perdi, de Marina Thomé. Durante a pesquisa do filme, selecionado pelo Rumos Itaú Cultural, a artista revisitou seus baús e encontrou músicas inéditas.

Uma delas, Solidão, conta do novo álbum de Zélia Duncan, composto somente por canções de Alzira, a ser lançado este mês. No filme, a música aparece em forma de poesia, declamada pela cantora Lucina, co-autora da música

 Conectados 

A programação online do Itaú Cultural, incrementada durante o isolamento social, trouxe um recorde de novos ciclos de filmes e cursos de formação. Em 2019, o site da instituição apresentou nove mostras e 46 filmes. Em 2020, os números subiram bastante: foram 23 mostras e 125 filmes.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.