Cortar sem perder

Sonia Racy

29 de maio de 2016 | 00h45

José Goldemberg achou boas as medidas anunciadas por Temer, mas faz um alerta: a comunidade acadêmica está preocupada com o critério a ser adotado nos cortes, especialmente em educação e ciência e tecnologia.

“Você pode adiar uma estrada, uma usina, mas há áreas em que um corte pode fazer estragos e não tem como repor mais tarde. Se cortou, perdeu.”

Exemplos?As pesquisa sobre a zika e os recursos para educação. “Nesta, você lida com gerações. E isso não tem volta”.

Tendências: