‘Copiar é crime e levamos isso a sério’

‘Copiar é crime e levamos isso a sério’

Redação

02 de maio de 2009 | 11h00

Daniella Vitale, presidente da Gucci America, desembarca em São Paulo na terça. Vem para vistoriar as lojas da marca. Otimista, a executiva acredita no crescimento do
mercado de luxo nos países emergentes.

Para a coluna, Daniella afirmou que, mesmo com a crise mundial, a Gucci conseguiu manter todas as suas lojas mundo afora.

Qual foi o impacto da crise na Gucci? Não conheço empresa alguma que não tenha sido atingida pela crise. No nosso caso, fomos pouco afetados. E mais: a América Latina teve crescimento nos últimos 18 meses.

O mercado de luxo vai sobreviver à crise, em especial o europeu? O perfil do
consumidor mudou e talvez nunca volte a ser o mesmo. Não com a mesma velocidade do passado, mas tenho certeza de que vai se recuperar.

A Gucci pretende diminuir o preço de seus produtos? Não.

Como está a parceria entre Gucci e Daslu? A parceria tem uma longa vida pela frente.

A Gucci fabrica algum produto na China? Não. Acreditamos apenas no “made in Italy”. Nossos clientes são extremamente exigentes e dão valor à mão de obra italiana.

Como a empresa lida com a falsificação? Infelizmente, há muitos produtos falsificados no mundo. Mas temos como combater isto. Copiar é crime e levamos isso a sério.

Veja também:
documentoOutras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.