Contrapé

Sonia Racy

19 de agosto de 2015 | 02h35

A explicação para o tom mais decidido contra Dilma de parte dos tucanos, nos últimos dias – com direito a presença de Aécio, Serra e Aloysio Nunes na passeata de domingo e a declarações de FHC – teria nome e sobrenome: Renan Calheiros.

O presidente do Senado, segundo alta fonte brasiliense, estava montando uma agenda pró-Brasil e, no processo, convenceu integrantes do PSDB a entrar na força-tarefa. Isso teria ocorrido no fim do recesso do Congresso.

O que aconteceu? Acabaram atropelados pelo anúncio da Agenda Brasil, apresentada por Renan a Joaquim Levy.