Contra o relógio

Sonia Racy

10 Agosto 2016 | 00h45

Ronaldo Caiado era um dos mais irritados, ontem, com as manobras do PT para “queimar tempo” na sessão do impeachment. E também com a intenção inicial de Lewandowski de parar os trabalhos às 23 horas. “Um absurdo”, dizia. “Já estamos há 110 dias na interinidade”.

Para os petistas, o problema era outro. Não escondiam a decepção com o rigor de Lewandowski. Que não facilitou nos prazos e ritos.

Mais conteúdo sobre:

LewandowskiRonaldo Caiado