Contra o assédio

Contra o assédio

Sonia Racy

01 de novembro de 2015 | 01h40

Foto: Iara Morselli

Foto: Iara Morselli

A mobilização #meuprimeiroassedio chocou muitos internautas pela quantidade de depoimentos relatando, na semana passada, situações de violência cometida contra mulheres. Foram mais de 82 mil. Por trás da campanha está Juliana de Faria (na foto, ao centro), criadora do coletivo feminista Think Olga. “Não temos que comemorar as violências, mas sim o fato de que essas mulheres se sentiram empoderadas para falar a respeito”, afirma. Não é a primeira vez que uma campanha criada pelas moças ganha força. Há dois anos, uma outra organizada contra o assédio sexual angariou muitas adeptas, a Chega de Fiu Fiu – que se transformará, em breve, em um documentário. Agora, ao lado das sócias Maíra Liguori e Nana Lima – com quem mantém a consultoria Think Eva– seu objetivo é expandir o alcance dessas mensagens de conscientização. “Estamos atrás de apoiadores que nos ajudem a criar cursos e workshops sobre violência sexual, pois nosso sonho é oferecê-los gratuitamente pelas escolas de todo o Brasil”, conta Juliana.

Tendências: