Contra-ataque

Sonia Racy

06 de novembro de 2013 | 01h02

Ontem, data-limite para retirada de assinaturas do requerimento para criação da CPI da CBF – já havia 33, ultrapassando as 27 necessárias –, nove senadores da base aliada resolveram voltar atrás. A coluna procurou quatro deles. Ivo Cassol, do PP, garantiu não ter sofrido nenhuma pressão do governo: “Mudei de opinião por conta própria”.

Já Paulo Davim, do PV, justificou: “A CPI tomou um rumo diferente do inicial. Querem investigar a Copa do Mundo”. João Alberto e Clésio Andrade, ambos do PMDB, não explicaram o motivo do recuo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.