Contra-ataque

Sonia Racy

25 de outubro de 2010 | 17h50

Começaram ontem série de reuniões, em Paris, entre familiares da Hermès com objetivo de blindar a marca contra Bernard Arnault.

Os acionistas controladores acordaram sábado, com a notícia de que LVMH conseguiu 17% de participação na Hermès em silencioso take-over, segundo fonte francesa envolvida. Os descendentes da Hermès têm 72% da empresa. Isto é, o agressivo Arnault abocanhou mais da metade das ações “livres” na Bolsa de Paris.

A exemplo da Bvlgari e Chanel, a Hermès resiste: é das poucas marcas top internacionais ainda controlada por fundadores.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: