Contra a crise, desoneração

Redação

05 de janeiro de 2010 | 11h06

Decretos assinados na virada do ano, e que José Serra deve anunciar hoje, estenderão até o fim de junho um pacote de incentivos fiscais que venceram dia 31. Um deles suspende o ICMS devido na importação de bens de capital sem similar nacional, concedida a 119 setores industriais. Além disso, foram beneficiados com a renúncia fiscal mais 24 segmentos.

“Foram escolhidos os setores que geram maior quantidade de empregos por renúncia fiscal”, explica Mauro Ricardo Costa, da Fazenda. Com o pacote de hoje, a desoneração – uma das saídas adotadas no início de 2009 para enfrentar a crise – se estende a 143 áreas.

Desoneração 2

Nas contas da Secretaria da Fazenda, a medida vai aliviar o caixa de cerca de 90 mil empresas – e os setores selecionados respondem por 1,2 milhão de empregos. As novas áreas incluem motores elétricos, equipamentos hidráulicos, geradores, pneumáticos e carrocerias.

Outro decreto estica até o fim de março a redução para 12% da carga tributária de setores de couro, vinho, brinquedos, laticínios e perfumes, entre outros.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.