Contabilidade

Sonia Racy

04 de outubro de 2014 | 01h05

O PRTB, de Levy Fidelix, não mandou ao TSE as prestações de contas mensais deste ano. Pela regra, o partido deveria ter esmiuçado como gastou o fundo partidário a partir de junho.

Os técnicos do tribunal devem fazer uma observação na prestação final referente a esse atraso. O PRTB recebe cerca de R$ 1 milhão por ano dos cofres públicos, e Fidelix tem até o fim de abril de 2015 para apresentar a prestação de contas completa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.