Conselho Federal da OAB pede afastamento de Bretas ao CNJ

Sonia Racy

06 de junho de 2021 | 15h41

MARCELO BRETAS

MARCELO BRETAS. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADÃO

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil pediu a Corregedoria  Nacional de Justiça o afastamento cautelar do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara da Justiça Federal do Rio de Janeiro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato no estado.

A entidade apresentou reclamação disciplinar, requerendo o afastamento de Bretas do cargo até a decisão final, à ministra Maria Thereza Rocha de Assis Moura, corregedora nacional de Justiça.

Alex Sarkis,  procurador nacional de Defesa das Prerrogativas da ordem, e Priscilla Lisboa Pereira, advogada, assinam o documento  apontando que o magistrado  não seria imparcial no cumprimento de suas atividades  como prevê o artigo 35 da Lei Orgânica da Magistratura Nacional.  E ainda desrespeitaria prerrogativas dos advogados  “como tratamento urbano entre as partes”, diz a reclamação.

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.