Confusões no Senado atrapalham planos dos movimentos de rua

Direto da Fonte

26 de agosto de 2016 | 11h43

O andamento incerto do julgamento de Dilma no Senado — com brigas e interrupção das sessões pelo presidente da Mesa, Ricardo Lewandowski — põe em dúvida os prazos originalmente acertados na Casa e, com isso, está atrapalhando os planos dos movimentos de rua. Mas eles continuam trabalhando com a hipótese de que até dia 31 estará tudo decidido.
Além de menor mobilização e de falta, em alguns casos, de patrocínio e apoio, pesa o fato de que a decisão será tomada em dia útil e, possivelmente, durante a  noite.
Ainda assim, o Movimento Brasil Livre fincou pé: confirmado o impeachment da presidente, seja quando for, o grupo vai para a rua, na mesma Avenida Paulista e no mesmo ponto de sempre.
O Vem Pra Rua, em princípio, não tem nada previsto mas admite que, dependendo do clima do dia, é possível planejar em pouco tempo uma concentração na Paulista, para organizar a comemoração da vitória do “Fora Dilma”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.