Conduções coercitivas anteriores a dezembro não serão anuladas

Sonia Racy

16 Junho 2018 | 00h40

SESSÃO DO SUPREMO

SESSÃO DO SUPREMO. FOTO: ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO

Apesar de a Lava Jato ter feito uso habitual da condução coercitiva – que o STF entendeu violar direitos – este tipo de operação não corre risco de ser anulado. A corte deixou claro que as conduções anteriores a dezembro, quando Gilmar Mendes suspendeu o uso desse instrumento, não serão anuladas.

Leia mais nomes na coluna:

Taxas de juros futuros continuam subindo durante jogo de estreia da Copa

Mulher submetida a laqueadura reitera que esterilização foi voluntária