Compra-carteiras

Redação

31 de outubro de 2008 | 08h45

O Bradesco já usou, para compra de carteiras, metade dos recursos liberados pelo Banco Central. Quem informa é Márcio Cypriano, que quantifica: dos R$ 6,030 bilhões, foram gastos R$ 2,978 bilhões. E mais. Do Fundo Garantidor, saíram outros R$ 965 milhões, com a mesma finalidade.

A volta do crédito na economia, no entanto, deve ser gradual e proporcional à diminuição do risco.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: