Com saída programada do conselho, Álvaro de Souza, do Santander, também encerra carreira

Sonia Racy

29 de julho de 2021 | 00h40

 

Com sua saída programada do conselho de administração do Santander – será substituído por Sergio Rial, que deixa a liderança do banco no Brasil também no fim do ano – Álvaro de Souza pretende encerrar sua carreira de 50 anos no sistema financeiro nacional e internacional.

Mas não ficará parado. “Estou tocando vários projetos diferentes, principalmente no terceiro setor”, contou ontem o executivo, reconhecido por antever movimentos.

Exemplo: Souza, em 2006 – portanto, bem antes da crise dos créditos podres de 2008 – resolveu zerar todas as suas posições no mercado financeiro, conforme registrou esta colunista na época.

 Termômetro 

Desde que rompeu com o bolsonarismo em 2019, Joice Hasselmann viu a sua base nas redes sociais emagrecer ….1,9 milhões de fãs.

Essa curva, segundo a Bites Consultoria, ganhou agora 12 mil novos seguidores, com o episódio em que a parlamentar ficou gravemente machucada.

Termômetro 2 

O Brasil perdeu duas posições em ranking feito a cada cinco anos, calculando conversão de riqueza em bem-estar, da Sustainable Economic Development Assessment (SEDA), pertencente à Boston Consulting Group (BCG).

O País ocupa hoje a 65ª colocação entre 141 nações, posição melhor que há cinco anos, quando conquistou o 78º lugar”. Há dez anos, estava na 55ª posição.

Quem vem 

Jorge Carlos Fonseca, presidente de Cabo Verde, aceitou o convite da Zumbi dos Palmares para a inauguração, sábado, de importante centro de estudos da universidade. Que será integrado, entre outros, por Luiz Carlos Bresser, Cristovam Buarque, Aldo Rebelo e José Eduardo Cardozo. Além de Zezé Mota, Paulo Lins e Martinho da Vila.

 Quem 2 

Antes, o presidente da ex-colônia portuguesa visita Bolsonaro e João Doria.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.