Carolina Ferraz lança livro com receitas de sua mãe

Carolina Ferraz lança livro com receitas de sua mãe

Marcela Paes

06 de junho de 2021 | 00h50

Carolina Ferraz. Foto: Divulgação

A ideia para fazer o livro Na Cozinha com Carolina 3 surgiu quando Carolina Ferraz, suas duas filhas, Valentina e Isabel, sua irmã, Maria Eugênia, e sua mãe, Dona Giscelda, decidiram passar parte da pandemia juntas em um sítio no interior de São Paulo. Como boa parte das famílias que se viram mais unidas do que nunca no período, a ação do dia a dia era centrada na cozinha. “Além disso, muitas das minhas lembranças de infância e adolescência em casa sempre tiveram relação com o comer e beber, receber pessoas”, conta a apresentadora.

Feito quase que manualmente para parecer um caderno caseiro de receitas – com uma edição limitada de 500 exemplares sem comercialização e outra que será lançada ao público – o livro virou um projeto familiar. Todas as receitas foram escritas à mão pela mãe da apresentadora. Já as fotos e o projeto gráfico ficaram a cargo de Valentina, filha mais velha de Carolina.

A ideia também foi uma forma de tirar Dona Giscelda – que tem 82 anos – do princípio de depressão que enfrentava com o isolamento imposto pela pandemia. “No início do isolamento ficamos três meses sem vê-la, foi difícil para nós e para ela. Mas minha mãe se envolveu completamente no projeto, foi muito legal”. No estilo comfort food, a maioria das receitas são pensadas para serem feitas em cerca de meia hora. Com exceção do tradicional peru de Natal recheado, criação de dona Giscelda. “São coisas simples, alguns pratos dá para fazer usando uma panela só”.

Acostumada a um tipo de interação diferente com o público, Carolina conta que desde que começou seu primeiro projeto culinário no GNT, se aproximou dos fãs sem o “véu de atriz”. “Na época do programa de receitas do GNT eu estava no ar com uma novela de enorme audiência, mas as pessoas vinham me falar da minha receita de pudim! Gosto muito disso, é um engajamento real”, explica a apresentadora, que se forma, ainda este ano, no curso brasileiro da escola francesa de culinária Le Cordon Bleu. Workaholic por natureza, a goiana não pisou no freio nos últimos meses. Continua apresentando o Domingo Espetacular e se prepara para lançar uma linha de produtos para a casa. “Acho que com a pandemia as pessoas se voltaram para coisas mais caseiras, começaram a prestar atenção em tornar o lugar onde vivem mais aconchegante, em observar o que comem. Se esse tipo de cuidado continuar depois que tudo isso passar, vai ser ótimo”./MARCELA PAES

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.