Com impasse sobre o local dos cachorros, Parque Augusta deve ter inauguração adiada

Com impasse sobre o local dos cachorros, Parque Augusta deve ter inauguração adiada

Sonia Racy

08 de outubro de 2020 | 00h55

Parque Augusta. Foto: Tiago Queiroz/Estadão

É difícil que a promessa de inauguração do Parque Augusta até dezembro deste ano seja cumprida. Uma das maiores estruturas a ser erguida, a sede administrativa do local, ainda não saiu do chão. 

A localização do “cachorródromo” é motivo de divergências entre a secretaria do Meio Ambiente e o grupo de arquitetos que acompanha a obra em nome da comunidade. Eles pedem que o “serviço” não fique no centro do parque– lugar considerado privilegiado. 

Ano que vem 2 

 De acordo com o arquiteto Augusto Anéas, a permanência do muro na rua Augusta está indefinida. Para o grupo, a estrutura tem valor histórico e deve ser mantida, pelo menos, parcialmente. 

 De longe  

 A busca pelo “ensino remoto” quintuplicou na manhã de terça em relação a segunda-feira. O interesse disparou no dia em que o Conselho Nacional de Educação aprovou a modalidade até o fim de 2021. 

 Os dados do Google Brasil também mostram que neste ano a pesquisa sobre o assunto foi 93 vezes maior que em 2019 – um salto de mais de 9.200%. Entre as perguntas mais buscadas: “Como melhorar a avaliação no ensino remoto?” 

 Sufoco 

 Sem alarde, Odebrecht (OEC), presidida por Marco Siqueira, tenta se reerguer depois do terremoto da Lava-Jato. Ganhou seis projetos de julho até agora, inclusive a licitação da empresa de saneamento de… Minas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: