Com Biden na presidência e democratas controlando Legislativo, dólar tende a enfraquecer mais

Com Biden na presidência e democratas controlando Legislativo, dólar tende a enfraquecer mais

Sonia Racy

07 de novembro de 2020 | 00h55

 

O candidato à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Democrata, Joe Biden Foto: Tom Brenner/REUTERS

Ontem, no fim do dia, persistia a dúvida pelos mercados financeiros: as eleições nos EUA vão resultar em uma eventual “onda azul”, com Joe Biden na presidência e os democratas controlando tanto a Câmara quanto o Senado?

A resposta correta antecipada à essa pergunta, vale todos os trilhões de dólares espalhados pelo mundo. Se a perspectiva se confirmar, o enfraquecimento internacional da moeda americana – já iniciado – se aprofundará. E os Treasuries, por sua vez, davam ontem sinal de alta.

Motivo? Biden certamente virá com um amplo pacote fiscal, com mais estimulo monetário e uma política comercial bem menos agressiva.

Democratas controlando as duas Casas, os pleitos do novo governo serão aprovados pela maioria sem esforços.

Repeteco?

A mulher de Antonio Rueda, vice-presidente do PSL, postou no Instagram e depois apagou, fotos suas nas Ilhas Maldivas acompanhada da frase “living the moment”.

Repeteco 2

Os cliques correram solto nas mãos de fogo amigo. Consultado, Rueda nega a viagem. Bom, Florinda deve estar com saudades dos bons tempos…

Tudo o que sabemos sobre:

Joe Bidenantonio ruedatreasuries

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.