Com base na Lava Jato, Prefeitura instaura ações contra 14 construtoras em SP

Sonia Racy

27 de dezembro de 2019 | 18h31


SEDE DA PREFEITURA. FOTO: DIVULGAÇÃO

A partir de informações obtidas de acordo de leniência firmado pela Lava Jato, a Prefeitura paulistana está entrando com ações, no Tribunal de Justiça do Estado, contra 14 construtoras. A consulta ao acordo, feito pela Controladoria-Geral do Município, permitiu detectar irregularidades em obras viárias realizadas na capital paulista entre 2008 e 2015. A busca foi autorizada pela Justiça Federal e pelo Ministério Público em Curitiba.

Entre as empresas que são objeto da ação — publicada hoje no Diário Oficial do Município — estão OAS, Constran, Andrade Gutierrez, Odebrecht, CR Almeida e Camargo Correa.

À parte essa tarefa, a Prefeitura paulistana fecha o ano com um total de R$ 1,48 milhão obtido em multas aplicadas a empresas por irregularidades e prejuízos causados ao erário, com base na Lei Anticorrupção, Segundo o Cadastro Nacional de Empresas Punidas (CNEP), a Controladoria-Geral paulistana é o órgão que mais aplica a legislação para punir empresas no Brasil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: