Com a nova juíza corregedora no Dipo, índice de prisões supera 90%

Sonia Racy

10 Janeiro 2018 | 01h10

Com a nova juíza corregedora, o Departamento de Inquéritos Policiais, que coordena as audiências de custódia no Estado, está com um índice de prisões de mais de 90%, segundo dados de cartórios. Número maior do que quando as audiências de custódia ainda não eram regra.

Consta que Patrícia Álvares Cruz – famosa por mandar à prisão uma mulher que tentou furtar um xampu – até entrevistou juízes do Dipo para saber se tinham perfil parecido com o seu. Agora, há um caso de ré primária presa por roubar quatro panetones. Defensores e criminalistas acham o quadro “catastrófico”, ante a superlotação das cadeias.

Correção o TJ informa: dados dos dias 8, 9 e 10 de janeiro apontam que 66% das 265 audiências realizadas terminaram em prisão. E mais: a condenação por roubo de panetone foi a de um reincidente que furtou 72 unidades.

Leia outras notas na coluna:

+ Falta de segurança em presídio pesou em decisão de Cármen Lúcia

+ Fachin mantém exigência de testes para juiz portar arma