Cofre cheio

Sonia Racy

20 de outubro de 2010 | 23h13

No Dia Nacional do Combate à Sonegação, São Paulo fechou suas contas do mês de setembro. “Não podemos reclamar. Na comparação com o mesmo mês em 2009, crescemos 14,3%”, informa Mauro Ricardo Costa, secretário da Fazenda do Estado. No ano? A expectativa é de 12% de aumento.

A base de comparação, no entanto, não é boa: o ano de 2009 não foi uma Brastemp. “Mesmo assim, se comprarmos com 2008, devemos crescer 8%”, destaca. Se neste mês a porcentagem bateu nos 14%, uma previsão menor para 2010 significa que a economia está enfraquecendo? Não, os brasileiros não vão pagar menos impostos. Não há desaceleração. É que a base de comparação está mudando para melhor, dando a impressão de que o País estaria em ritmo mais lento.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: