Cofre cheio

Sonia Racy

31 Janeiro 2015 | 01h10

Guilherme Afif arrumou poderoso argumento a favor de sua proposta de reformulação do Simples – que tramita no Congresso. Enquanto a Receita Federal anunciou perda real de 1,91% na arrecadação, o segmento das micro e pequenas empresas do Simples aumentou 7,23%, descontada a inflação.

“Um crescimento chinês no andar de baixo da economia”, atesta o ministro. Que conta já ter recebido pedido de Dilma para apressar os aperfeiçoamentos no texto.

Cofre 2

Nos Estados, principalmente em São Paulo, a ótica é outra – contra a elevação do limite do Simples. “Os efeitos são complexos do ponto de vista de tributação”, explica o secretário Renato Villela.