Clubes esportivos e culturais de SP discutem protocolo de reabertura

Clubes esportivos e culturais de SP discutem protocolo de reabertura

Sonia Racy

10 de junho de 2020 | 00h33

Bruno Covas tem previsão de autorizar até esta sexta-feira protocolo de reabertura dos clubes de SP. Prefeito, dirigentes e associações acertaram que retomada será com 20% da capacidade total e apenas liberada a área externa – o ‘condomínio’.

A liberação inclui pista de cooper, piscina, quadras esportivas, desde que abertas. Exigências? Instalação de câmera de temperatura, totens de álcool gel, máscaras…

“Compramos até teste de covid-19 para a equipe que retomará. E já havíamos feito teste sorológico no Einstein com funcionários, apenas 5% testou positivo”, conta à coluna Daniel Bialski, do Clube Hebraica, que esteve na reunião na Prefeitura, anteontem.

Hoje, o grupo – que soma 280 clubes – volta a se reunir para finalizar o protocolo e definir data oficial de retomada. As articulações incluem Paulo Movizzo, do Sindi Clube, e Sérgio Nabhan, da Acesc, além de Heni Ozi Cukier e Daniel Annenberg.

Bialski diz que estaria pronto para reabrir já no domingo, caso já tenha sido publicado decreto da prefeitura, previsto para esta sexta. Também estão se preparando para a retomada outros clubes como Paulistano, Pinheiros, Alto de Pinheiros e Paineiras – mas sem data prevista. “Cada clube, após autorização formal da prefeitura, decidirá quando efetivamente abrirá. Estamos irmanados, unidos”.

Cartilha para os associados do Hebraica ficou pronta ontem. “Já comprei termômetro digital, oxímetro, vaporizador, tapetes sanitizante…”, afirma o dirigente, que cuida de 750 funcionários e 18 mil sócios.

Nos clubes, seguirão com cadeado: academia de ginástica, restaurante, lanchonete, salão de beleza… Só reabrem conforme plano do Governo de SP.

Nova onda

Mais um drive-in será aberto em SP. O Arena Estaiada Drive-In será inaugurado no Dia dos Namorados com sessões dos filmes Long Shot e La La Land.

O áudio é captado dentro do próprio veículo via rádio FM.

Empurra e cai?

Polêmica instaurada nas redes sociais após a estátua do traficante de escravos Edward Colton ter sido derrubada durante protestos em Bristol, na Inglaterra. Criado nas redes, movimento brasileiro tenta organizar a retirada da estátua do bandeirante… Borba Gato.

Enquanto alguns criticam que monumentos de figuras históricas ligadas à escravidão sejam mantidos, outros alegam que tais obras fazem parte da nossa história. No Twitter, o escritor Laurentino Gomes – autor de trilogia sobre escravidão – alega que os monumentos devem ser “preservados como objetos de estudo e reflexão”.

Receosos

A startup WinSocial – que atende pessoas com diabetes, grupo de risco da covid-19 – registrou aumento de… 30% de vendas do seu seguro de vida adquirido por pessoas com esse tipo de fragilidade – na comparação ao mês anterior.

A maior parte das contratações realizadas em maio foi feita por homens (62%), com idade média de 45 anos.

Dúvida cruel

A preocupação com a covid-19 em Trancoso, na Bahia, é gigante, mas não se atentam à dengue. Fonte dessa coluna, internada em hospital com dengue, pergunta-se: “É pra sair de casa ou ficar trancado no meio de mosquitos?”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.