Cloro na piscina

Sonia Racy

23 de junho de 2016 | 01h09

Foram pouquíssimas as mudanças no projeto de lei das estatais que passou anteontem no Senado. Segundo o senador Tasso Jereissati, responsável pelo texto, não mais que três pequenos itens foram alterados – e eles em nada afetam o conteúdo geral.

Entrou a responsabilidade social da empresa – desde que não se sobreponha a proposta específica da criação da estatal. Diminuiu de dez para quatro meses o prazo cumulativo da experiência do gestor. E foi também aceita como válida a experiência dos profissionais liberais.

Na piscina 2

A CEF será a mais atingida pela nova lei. Ela não é nem estatal e nem banco – tanto que seus funcionários não são considerados funcionários públicos ou bancários e sim “economiários” – seja lá o que isso for.

Pela nova regra, ela terá que ser bem mais transparente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.