Classificados

Sonia Racy

02 Julho 2015 | 01h12

Preocupadas com o impacto, em Curitiba, da iminente venda do HSBC – que tem sua sede na cidade –, Gleisi Hoffmann e a vice-prefeita Miriam Gonçalves levaram ontem a Alexandre Tombini, do BC, sua lista de aflições.

Que inclui uma redução no orçamento municipal e o risco de demissão para muitos dos 7 mil empregados.