Cipriani Hall também se recusa a sediar evento que homenageia Bolsonaro

Sonia Racy

17 de abril de 2019 | 15h52

CIPRIANI HALL. FOTO: PEABODYAWARDS/FLICKR

CIPRIANI HALL. FOTO: PEABODYAWARDS/FLICKR

A exemplo do Museu Nacional de História Natural em Nova York, o Cipriani Hall, em Wall Street, também se recusou a sediar o evento Personal of the Year, premiação da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos que vai homenagear o presidente Jair Bolsonaro.

Por trás dessas decisões de recuo está, além da comunidade ambiental, a pressão forte do prefeito da cidade, Bill de Blasio. Ele tem dificultado a realização da festa valendo-se do argumento de que não seria possível garantir a segurança do evento, visto que muitos movimentos sociais se articulam contra sua realização.

A Câmara de Comércio havia decidido, na terça-feira, fazer o evento no Cipriani Hall, após da recusa do Museu Nacional – negativa celebrada por Bill de Blasio nas redes sociais. Na sexta, o prefeito democrata de Nova York chegou a pedir que a homenagem, prevista para 14 de maio, fosse cancelada.

A premiação é concedida há 49 anos e tem objetivo de reconhecer sempre dois líderes, um brasileiro e um americano, que trabalham pela aproximação e relação entre os dois países.

A Câmara de Comércio, conforme adiantado pelo blog da coluna, escolheu, também na segunda-feira, que o par de Bolsonaro no evento será Mike Pompeo, secretário de Estado de Donald Trump.

Leia mais notas da coluna:
+ STF é, ao mesmo tempo, ofendido e julgador, critica Ary Oswaldo Mattos Filho
+ PF intima revista ‘Crusoé’ e diretor presta depoimento

Tudo o que sabemos sobre:

Bill de BlasioJair Bolsonaro

Tendências: