No Belas Artes, a conversa do cinema com a comida

No Belas Artes, a conversa do cinema com a comida

Sonia Racy

11 de junho de 2016 | 00h27

SILVANA GARZARO / ESTADÃO

SILVANA GARZARO / ESTADÃO

Dois “Midas” do público paulista se unem no lançamento da sala Drive-in do cine Caixa Belas Artes. André Sturm, do cinema, e Facundo Guerra, da gastronomia, inauguram o local, com capacidade para 80 pessoas, no dia 17. Ele vai oferecer programação eclética de cinema reforçado com comidinhas, cerveja e drinks assinados pelo grupo Vegas – dono, entre outras, do Riviera, Pan Am e Z Carniceria. A convite da coluna, a dupla fez um duelo entre filmes vs. sabores:

André Sturm: Apocalipse Now, Francis Ford Coppola.
Facundo Guerra: Eu assistiria tomando shots de mezcal e burritos com o blair’s ultra hot death sauce, o molho mais apimentado do mundo.

André Sturm: Quanto mais quente melhor, Billy Wilder.
Facundo Guerra: Combina com chocolate quente e uma torta de pasta de amendoim.

André Sturm: O silêncio dos inocentes, Jonathan Demm
Facundo Guerra: Assistiria tomando um chianti e comendo um belo cordeiro assado.

André Sturm: Um convidado bem trapalhão, de Blake Edwards.
Facundo Guerra: Manhattan e amendoins.

André Sturm: Pulp Fiction, Quentin Tarantino
Facundo Guerra: Esse tá fácil! Uma Budweiser gelada numa
mão, um burger na outra…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.