Ciclo planetário ‘favorece Bolsonaro’, diz astrólogo

Ciclo planetário ‘favorece Bolsonaro’, diz astrólogo

Sonia Racy

28 Outubro 2018 | 00h45

 


CACÁ NOGUEIRA/ ARQUIVO PESSOAL

Depois de pesquisas falhas e muitas previsões não concretizadas, esta coluna resolveu dar uma chance aos “astros”. E consultou Cacá Nogueira, conhecido astrólogo acostumado – acreditem – a dar consultas empresariais.

Na sua análise, o mundo está vivendo, do ponto de vista astrológico, um período conturbado que começou em 2008 e vem até 2019, marcado por “muita violência e muita transformação”. Seria efeito da conjunção de Urano com Plutão, repetindo fase planetária vivida a partir do crash da Bolsa de NY em 1929, gerando gigante crise econômica que atingiu o mundo inteiro.

‘Grandes transformações
de um novo ciclo astral’

Depois, nos anos 60, em novo ciclo, os dois planetas estiveram associados “a grandes e profundas transformações da humanidade”. No caso brasileiro, para ficar só em dois exemplos, ele menciona a implantação de um regime militar e a intensa revolução cultural comandada pelos festivais de música, mais a Jovem Guarda e o movimento Tropicália.

Foi a partir desse cenário, onde os ciclos se sucedem há milênios, que o mundo assistiu em 2009 aos estragos do subprime americano, a crises financeiras por todo lado, a ditaduras caindo, refugiados… E com o olhar atento a esses fenômenos Nogueira fez sua previsão sobre a disputa presidencial de hoje no Brasil.

Natureza ‘impulsiva’
ajuda Bolsonaro

O que ele constata? Que a natureza impulsiva de Bolsonaro “lhe dá um grande favorecimento” e que seu mapa astral tem sintonia, sim, com o da nação. Ele ressalta que, como ariano, Bolsonaro “tem uma energia muito marcante no sentido de procurar propósitos”.

E vai adiante: “Como ex-militar, que adquiriu muito a maneira de agir mais direta do seu signo, traz essa atitude muito destemida”. No seu ver, o presidenciável do PSL vive “uma circunstância favorável”.

E Fernando Haddad? Segundo o astrólogo, o petista, que é aquariano, está numa situação difícil, “em que o colocaram num beco sem saída como salvador da pátria”. Entretanto, não descarta o inesperado na era de Aquário.

Leia mais notas da coluna:
Alguns da equipe da Fazenda podem permanecer com Guedes
Esquerda ‘tem de se reavaliar’, avisa Gabeira