Choque de realidade

Redação

20 de janeiro de 2010 | 09h06

Mesmo acreditando que o Brasil se saiu-bem nessa crise – inflação controlada, recessão de apenas dois trimestres, a taxa de desemprego já retornando aos níveis pré-crise e todos os indicadores apontando para crescimento econômico vigoroso em 2010 – Affonso Celso Pastore prevê alta da taxa de juros.

E com aceitação de Lula. “Embora as indicações da política fiscal indiquem o contrário, apostamos no pragmatismo de Lula, que deverá aceitar o custo político da decisão do BC de elevar a taxa de juros, produzindo a necessária desaceleração do crescimento”, escreveu o economista em seu seletíssimo relatório da semana.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.