Chineses estão comprando mais carros para evitar contágio em metrô

Chineses estão comprando mais carros para evitar contágio em metrô

Sonia Racy

03 de março de 2020 | 12h24

 

CHINESES NO METRÔ. FOTO CORREOFARMATEUTICO

 

O receio dos chineses de contrair o coronavírus provocou um efeito inesperado, tanto entre médicos como entre economistas: o aumento na procura de carros, pelos que temem contágio utilizando transporte público. A novidade está em pesquisa feita pela Ipsos — “Impact of coronavírus on new car purchase in China”. Ela revela que 77% dos atuais interessados na compra de automóvel apontam como causa esse temor.

O estudo, que ouviu 1.620 pessoas, aponta que o uso de transporte público diminuiu na China desde o surto da doença. Dos 56% que utilizavam metrô e ônibus como meio de transporte no período anterior ao coronavírus, segundo o levantamento, apenas 24% estão usando no momento esses transportes coletivos. Em contrapartida, o uso de veículos próprios tem aumentado. Se anteriormente 34% tendiam a se deslocar com seus automóveis, hoje quase o dobro, 66%, preferem se locomover dessa maneira.

Dos que hoje não possuem carro – 37% do total –, 72% expressaram a intenção de adquirir  veículo próprio. E a principal razão para o automóvel ser um objeto de desejo tem ligação direta com o surto da doença.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: