Chinese way

Sonia Racy

11 de agosto de 2011 | 23h10

Membro do alto escalão da Comunidade Econômica Europeia relatou, a um banqueiro brasileiro, premonitória conversa em 2008 com integrante do governo chinês. O oriental perguntou por que os europeus não se preocupavam com suas crianças. O belga estranhou, e o chinês completou: “Vocês estão deixando uma dívida enorme para elas administrarem!”.

Tinha razão. A crise do Lehman Brothers foi bancária, e os governos evitaram uma ruptura naquele instante.

Agora ela voltou, sua natureza é de dívida pública, e a “caixa de ferramentas” está vazia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: