Censo constata apenas que apenas 11 partidos políticos tem diretório LGBTQIA+

Sonia Racy

23 de setembro de 2021 | 00h50

21ª PARADA DO ORGULHO LGBT DE SÃO PAULO. Foto: Paulo Lopes/Futura Press

A organização #VoteLGBT – coletivo que busca aumentar a representatividade diversificada na política brasileira – fez um…censo. Segundo a pesquisa – que tinha como foco LGBTs+ que têm mandato, integram um partido ou colaboraram em alguma campanha –, dos 36 partidos brasileiros somente 11 possuem diretórios LGBTs+. E apenas três deles dão visibilidade à causa em seus sites oficiais.

Sub…representados

O levantamento indica, também, que pessoas da comunidade LGBT+ sofrem preconceito de outros membros do partido. O que resulta em “ ambientes hostis” que provavelmente impedem o engajamento “de prazo mais longo”.

Mundo verde

Ilan Goldfajn, presidente do conselho do Credit Suisse no Brasil, embarca no fim de semana para a Amazônia, na categoria “embaixador” da Fundação Amazônia Sustentável. “Temos exemplos práticos de que a floresta em pé gera mais emprego e renda do que quando derrubada. As pessoas precisam conhecer esses casos de sucesso e estou abraçando essa missão”, afirma o ex-BC.

O presidente do banco, José Olympio Pereira, é conselheiro da SOS Mata Atlântica.

Colheita

Continua intensa a corrida por nomes influentes para compor as chapas nas eleições para a OAB em novembro. Dora Cavalcanti acaba de fechar aliança com o também criminalista Antônio Ruiz Filho para ser seu secretário-geral.

Aqui e ali

Alexandra Loras e Mauricio Oliveira vão lançar em novembro, pela Editora Matrix, um jogo com 100 perguntas para discutir preconceito e gerar conscientização. Nome? Vamos Falar de Racismo.

A ex-consulesa da França em SP também se prepara para lançar o Instituto do Protagonismo Feminino.

História antiga

Estreia amanhã o documentário Meu Sangue é Vermelho. O filme acompanha o rapper Owerá, da tribo Guarani M’bya, em visitas a comunidades indígenas. E ressalta atos emblemáticos, como a manifestação em Brasília com cerca de 200 caixões simbolizando as mortes indígenas.

Criolo e o historiador Vincent Carelli participam do filme. No VIMEO.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.