Cenário eleitoral fica mais claro com avanço na escolha de vices

Sonia Racy

03 Agosto 2018 | 01h30

GERALDO ALCKMIN

GERALDO ALCKMIN. FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

O cenário eleitoral ficou bem mais claro ontem, com o avanço na escolha de vices. Marina Silva emplacou Eduardo Jorge, do PV, para formar a dupla da Rede. Geraldo Alckmin convenceu Ana Amélia – que ainda depende de acertos em seu PP – e Meirelles avançava otimista para atrair Marta Suplicy para chapa pura do MDB.

O que muda? Marina recebe mais 5 parlamentares e se habilita a participar de debates na TV. Alckmin passa a ter um chão para pedir votos no Sul. Meirelles talvez pare, enfim, de falar sozinho. Nesse novo patamar, Ciro e Bolsonaro é que estão atrasados.

Não custa lembrar: nas nove eleições desde o fim do regime militar, três vices subiram à Presidência: Sarney, com a morte de Tancredo, Itamar com a saída de Collor e Temer com a de Dilma.

E há quem olhe enviesado quando alguém fala de vitória de Bolsonaro em outubro. Imaginando que ele pode não ficar até o fim no cargo.