Caso Daniel Silveira: Kakay lembra de baiano que torce pela morte de carioca e acaba preso

Sonia Racy

21 de fevereiro de 2021 | 00h50

ANTÔNIO CARLOS DE ALMEIDA CASTRO

ANTÔNIO CARLOS DE ALMEIDA CASTRO. FOTO: BETO BARATA/AE

Saída

A discussão sobre a constitucionalidade da prisão do deputado Daniel Silveira, bem como a legalidade da audiência de custódia no caso, trouxe lembrança antiga ao criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro – o Kakay.

O jurista fez post na sexta-feira contando que quando era menino, em Patos de Minas, havia dois bêbados que eram inimigos mortais.

Um baiano e o outro carioca que viviam ameaçando de morte um ao outro.

Saída 2

Um dia o carioca amanhece morto. A polícia não teve dúvida e prendeu o baiano, sem prova alguma. O baiano vai a júri e o juiz pergunta: “O senhor matou o carioca?” O baiano, com seu forte sotaque, responde: “Acha bão é crime?” Ao que o juiz, perplexo, indaga: “Por quê?”

Resposta: “Matar eu não matei não, mas achei bão demais…”

Saída 3

Pois é, esta coluna não encontrou um só ex-ministro do STF para dar seu parecer sobre o caso. Acompanhado de devida permissão para citar seu nome.

Avenida

A Assembleia paulista aprovou projeto de lei que permite o uso de recursos da loteria oficial para crianças com câncer. Quase 10% do casos de morte dos pequenos são resultantes da doença.

No último dia 15, foi comemorado o dia nacional de combate ao câncer infantil.

Bang Bang

A série sobre Castor de Andrade mostrando a ascensão de um dos maiores contraventores brasileiros agradou, quem diria, a família dele. A produção na linha documental foi considerada equilibrada pelos parentes do bicheiro morto aos 71 anos de infarto em 1997.

Chamada Doutor Castor, mostra como ele se infiltrou no futebol e no samba para tentar se legitimar. Foi presidente da Mocidade Independente de Padre Miguel.

Remarcação

O Festival Internacional de Arte de São Paulo tem nova data: de 16 a 20 de junho. Acontece em formato híbrido: presencial, no Pavilhão da Bienal no Parque Ibirapuera, e virtualmente, na plataforma SP-Arte Viewing Room.

Para ampliar as oportunidades dos expositores, o evento online terá uma duração mais longa que a feira física.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.