Casamento internacional

Redação

02 Fevereiro 2010 | 08h47

Bem que os amigos estavam intrigados com a súbita paixão de Rubens Ometto por Londres. Para costurar a associação entre Cosan e Shell, o usineiro voou nada menos que onze vezes para lá, além de outras tantas para Houston. “Quase não parei por aqui nos últimos nove meses”, contou ontem à coluna. Valeu, o bebê nasceu.

Não é de hoje que Ometto, da Cosan, tenta se unir à Shell – coisa que acabou acontecendo no fim do domingo, gerando a operação de US$ 12 bilhões anunciada ontem. Há dois anos, houve um movimento que acabou não avançando. O que aconteceu? “Não é verdade, não havia nada”, desconversa.

Ometto diz sentir-se realizado. Afinal, no mundo dos usineiros, eram muito poucas as apostas a seu favor.

O empresário não teve e não terá tempo de comemorar: “A operação é gigante”, explica. Ontem mesmo, subiu em seu jato rumo a Brasília. “Vou conversar agora com os ‘chefes'”, explicou. Não precisou especificar quais.