Carta dos Economistas não tem intenção de afastar Paulo Guedes, segundo signatários

Sonia Racy

23 de março de 2021 | 00h50

O ministro da Fazenda Paulo Guedes. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Existem muito mais versões do que fatos nessa grande repercussão da Carta dos Economistas, originada no grupo de WhatsApp Economistas do Brasil. Isto posto, os signatários estão cautelosos, observando o desenrolar da reação. 

Há quem esteja aproveitando para usar a carta e sugerir a demissão de Paulo Guedes. Mas mesmo os economistas que não concordam com a gestão do ministro, segundo se apurou, alertam para a realidade: em nenhum momento algo perto disto consta da missiva.  

 Outros estão se perguntando se a carta tem como objetivo forçar o impeachment e, de novo, o que se ouviu ontem, foi que “em nenhum momento isso está na carta”.  

 O que existe na carta e provocou avalanche de assinaturas de peso é o tratamento da questão ética e técnica, atrelada ao desejo de salvar vidas. “Se movimentar contra a barbárie”, segundo ressalta economista signatário. “A carta é carta de economista, com muita… nota de rodapé”. 

 Por outro lado, desconfia-se que o centrão pode se aproveitar do movimento técnico, consciencioso e antiestagnação para distorcer a iniciativa e tentar maior liberação de gastos. 

 Estranha, a vida 

 No meio médico, causa estranheza a demora na nomeação de Marcelo Queiroga.

Ele, Ernesto 

 O Círculo de Crítico de Arte do Chile – que elege, anualmente, nomes de destaque do setor cultural – escolheu a exposição Soplo, do brasileiro Ernesto Neto, como a melhor de 2020. 

 No Brasil, a mesma exposição foi vista em 2019 na Pinacoteca.

 Girl Power 

 Livro para lá de experimental e feminista, da escritora best-seller Cecelia Ahern, sai no Brasil e pela Harper Collins. A coletânea de contos Roar – cujos direitos foram adquiridos pela Apple TV – também está sendo adaptada para uma minissérie, com direito a Nicole Kidman no elenco. 

 Power 2 

 Julia Quinn, autora de romances de época da Editora Arqueiro – um deles inspirou a série fenômeno da Netflix Bridgerton – acaba de bater a marca de 2 milhões de livros vendidos no Brasil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.