‘Carcereiro de Lula’ é transferido em maio para o Peru

‘Carcereiro de Lula’ é transferido em maio para o Peru

Sonia Racy

06 de março de 2020 | 00h20

POLICIAL FEDERAL JORGE CHASTALO. CRÉDITO: CAO FERREIRA/DIVULGAÇÃO

Jorge Chastalo, agente da PF que ficou conhecido como “o carcereiro de Lula”, embarca em maio “de mala e cuia” para Lima, no Peru, onde será adido adjunto da Polícia Federal por três anos. À coluna, ele diz que viaja pouco, não conhece o novo país mas está animado com “as férias após dois anos difíceis”.

É como Chastalo define o período em que chefiou a segurança do ex-presidente na carceragem.

Troca ‘é normal’,
diz o agente

O agente nega que a mudança tenha motivação política. Alega que é “normal” e que a cada três anos a PF troca de adido. Chastalo leva a mulher e duas filhas, mas manterá sua casa em Curitiba.

Secretários de Doria
mantêm viagem aos EUA

Patricia Ellen e Sérgio Sá Leitão, secretários do governo Doria,  vão manter sua ida ao SXSW – maior festival de mídia, música e inovação do mundo, em Austin, no Texas. Os secretários não aderiram à decisão de Netflix, Apple, Amazon e Twitter, entre outros, que desistiram da participação por causa do surto de coronavírus.

“Recebi mensagem deles hoje dizendo que o SXSW está confirmado. Só não irei se ele for cancelado”, explica Sá Leitão, que estará em um dos painéis ao lado de Patricia.

Secretários 2

Em 2019, a Petrobrás foi a petrolífera do Ocidente que mais investiu – US$ 27 bilhões, superando os US$ 24 bilhões da ExxonMobil. Mais da metade desse valor, segundo a empresa, foi destinado à aquisição dos direitos de exploração e produção do campo de Búzios.

Búzios é um ativo de classe mundial, com baixo risco para a estatal, baixo custo de extração e resiliente a preços de petróleo abaixo de US$ 40 por barril.

Negociador  Israel
vem ao Brasil 

O escritor israelense Gherson Baskin desembarca em maio no Brasil. Figura de destaque nas negociações entre líderes israelenses e palestinos, ele vem a convite do Instituto Brasil-Israel e da empresária Sheila Mann.

Na agenda, o lançamento do livro In Persuit of Peace in Israel and Palestine e conferências em várias universidades, além de palestra no Instituto FHC.

Mais mulheres
na Bienal paulista

A mostra coletiva da 34ª Bienal de São Paulo – Faz Escuro Mas Eu Canto –, que abre em setembro, deverá trazer mais mulheres do que homens. Entre elas, a peruana Ximena Garrido-Lecca, a brasileira Clara Ianni e a americana Deana Lawson.

A rede de instituições parceiras da Bienal – que programam uma expansão da mostra pela cidade – também tem destaques femininos, como Lygia Pape, Regina Silveira, Frida Orupabo, Carolina Maria de Jesus e Joan Jonas.

Elza na parede

O número 1.681 da Rua da Consolação tem tudo para virar point para selfies. O fotógrafo Francio de Holanda inaugura ali a empena em homenagem a Elza Soares, feita pelo bloco Acadêmicos do Baixo Augusta.

Eva premiada

Eva Wilma recebe, dia 10, o prêmio Tarsila do Amaral em evento do Conselho da Mulher Empreendedora da ACSP. No encontro, que debate ‘Protagonismo Feminino nos Negócios’, presenças de Luiza Helena Trajano, Ângela Harita e Jô Nascimento.

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: