Calculadora emperrada

Sonia Racy

24 de maio de 2013 | 01h06

Curiosa, a matemática dos subsídios da Prefeitura para preços de passagem de ônibus.

Em 2011, não houve aumento, e SP gastou R$ 600 milhões.

Em 2012 (ano eleitoral, em que Kassab se recusou a elevar a tarifa), o valor da ajuda saltou para R$ 960 milhões. Isto é, mais de 50% em comparação com o ano anterior.

Calculadora 2

E agora, mesmo com o reajuste de preço autorizado por Haddad, a conta está prevista em R$ 1,225 bilhão: 100% a mais do que em 2011. Detalhe: o fluxo de passageiros se manteve praticamente inalterado nestes anos.

Com a palavra, a Prefeitura.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.