Caiu a linha

Redação

22 de janeiro de 2009 | 06h00

Vão acabar as revistas íntimas nas visitas em presídios federais. O Ministério da Justiça decidiu adquirir um tipo de scanner que detecta, na entrada, se o visitante – e, principalmente, a visitante – está levando alguma coisa escondida, nas vestes ou mesmo dentro do corpo.

Cada scanner sai por R$ 640 mil. Pode ser o fim do “contrabando” de celulares para dentro das celas.

Leia outras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.