Cadê o ‘Juninho’?

Sonia Racy

09 de agosto de 2015 | 00h54

Está em baixa, em SP, a tradição de se dar ao filho o mesmo nome do pai. Em 20 anos, caiu 72%, no Estado, a quantidade de crianças que carregam um “Júnior” ou “Filho” na certidão.

Foi a Arpen-SP que, para este Dia dos Pais, levantou os dados em 816 cartórios. De 1995 a 2014, esses nomes  de 10.368 para 2.857.