Cadastro do bem

admin

04 de fevereiro de 2009 | 06h00

Na briga pela redução dos spreads bancários (diferença entre o que o banco paga pelo dinheiro que capta e que cobra pelo que empresta), o governo Lula “se esqueceu” de uma arma montada pelo seu próprio governo durante o primeiro mandato.

Trata-se do projeto de lei que implantou o cadastro positivo para credores do sistema financeiro. Ele possibilita ao bom pagador pagar menos juros que o mau pagador.

A montagem do projeto deu um trabalhão aos Ministérios da Economia e da Justiça, aos Procons, à Febraban e à Associação Comercial paulista. Foi amplamente alardeado e discutido. E agora repousa, singelo, na gaveta do relator Celso Russomano.

Por pouco tempo. Abandonado à própria sorte, o governo Serra pensa em ressuscitá-lo. Ainda este mês.


Leia outras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.