Cabo de guerra

Direto da Fonte

29 de junho de 2013 | 01h09

Alckmin não pretende se limitar a manter a tarifa do pedágio: quer reduzi-la. Para tanto, conversa, há mais de um ano, com as concessionárias. Objetivo? Encontrar reequilíbrio econômico dos contratos assinados no governo Covas.

Na época, a realidade econômica era outra. A taxa de juros chegou a 25% ao ano e a taxa de retorno do setor aumentou também, alcançando 22%. Tudo para atrair interessados.

Cabo 2

Os empresários estão chiando. Alegam que correram risco, que a taxa de juros poderia ter subido e eles, perdido dinheiro. O governo não concorda. E negocia caso a caso – sem, no entanto, pensar em quebra de contratos.

Mas garante: reduzirá a tarifa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.