Buraco negro

Redação

17 de dezembro de 2008 | 06h00

Baixou uma nuvem negra no Country Club do Rio.

Não se fala de outra coisa por ali a não ser sobre as perdas de vários sócios do clube, no Fairfield Sentry Fund, que investia, por sua vez, no fundo gerenciado por Bernard Madoff, ex-dirigente da Nasdaq, preso na sexta-feira.

A captação carioca era feita por Betina Haegler, filha de Alex Haegler, executivo bem relacionado na cidade.

Estimam-se US$ 5 bilhões de aplicações de brasileiros naquele fundo. A maior parte, claro, de paulistas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: