Brasileiros do Bolshoi serão padrinhos de projeto na cracolândia

Brasileiros do Bolshoi serão padrinhos de projeto na cracolândia

Sonia Racy

16 de agosto de 2016 | 00h45

Os bailarinos Bruna Gaglianone e Erick Swolkin, do corpo de baile do Ballet Bolshoi, desembarcam em São Paulo por uma causa nobre: serão padrinhos do projeto Novos Sonhos, que oferece aulas de balé para crianças da cracolândia e da Comunidade do Moinho.

O casal, que namora há oito anos, dará uma aula aberta de balé clássico hoje no Da Vinci Art Studio, no Itaim Bibi. A inscrição? Um quilo de alimento não perecível, a ser entregue na quinta-feira, quando os dois visitarão a sede do projeto.

Bruna e Erick conheceram o projeto no ano passado, quando estiveram no Brasil em uma temporada com o Bolshoi, e se apaixonaram. “Nós dançamos para as alunas, conversamos um pouco e elas dançaram para a gente. Foi lindo. Acredito que o balé pode trazer a essas meninas disciplina, respeito e determinação”, disse Bruna.

A dificuldade para seguir uma carreira profissional no balé, segundo ela, não é empecilho para as meninas do projeto. “Por mais que elas não sigam como bailarinas profissionais, com certeza poderão levar esses conhecimentos para qualquer outra profissão”.

Joana Machado, coordenadora do Novos Sonhos, explica o motivo do convite ao casal. “Eles são pessoas com um grande coração. Nossos alunos têm potencial para chegar aonde quiserem. Ter a Bruna e o Erick como padrinhos é uma inspiração para todos nós, um orgulho, e só podemos agradecer. Eles estão sempre à disposição para nos ajudar.”

Os dois foram formados pela Escola de Balé do Teatro Bolshoi no Brasil – em Joinville, Santa Catarina, onde se conheceram e começaram a namorar. Em 2011, foram aprovados na seleção de estrangeiros para o Bolshoi de Moscou. E agora se preparam para realizar mais um sonho juntos: eles estão fazendo faculdade de dança, para coreografia e direção. /JULIANNA GRANJEIA

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: